domingo, 13 de novembro de 2016

Educação Especial - Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade - Inibição e auto-controlo




Inibição e auto-controlo
1 – Procura ter sempre uma postura pró-ativa. Antecipar as possíveis dificuldades do educando que possam surgir e estruturar as soluções. Identificar no ambiente de sala de aula quais são os piores elementos de distração (situações que provocam maior desatenção) na tentativa de manter o aluno o mais distante possível deles e, consequentemente, focado o maior tempo possível na tarefa em sala de aula.

2 – Utilizar técnicas auditivas e visuais para sinalizar transições ou mudanças de atividades. Exemplo: falar em voz alta e fazer sinais com as mãos para lembrar a mudança de uma atividade para outra, ou do término da mesma.

3 – Dar frequentemente feedback (reforço) positivo. Assinale os pontos positivos e negativos de forma clara, construtiva, respeitosa. Esta monitorização é importante para o aluno com TDAH, pois permite que ele desenvolva uma percepção do seu próprio desempenho, potencial e capacidade e possa avançar motivado em busca da sua própria superação.

4 – Permitir que o aluno se levante em alguns momentos, previamente combinados entre ele e o professor. Alunos com hiperatividade necessitam de alguma atividade motora em determinados intervalos de tempo. Exemplo: pedir que vá ao quadro apagar o que está escrito, solicitar que vá buscar algum material, etc., ou mesmo permitir que vá rapidamente à casa de banho ou ao corredor beber água. Este procedimento é extremamente útil para diminuir a atividade motora e, muitas vezes, é ABSOLUTAMENTE NECESSÁRIO para crianças muito agitadas.

Informação retirada daqui: http://tdah.org.br/