terça-feira, 6 de setembro de 2016

Educação Especial - Anel permite aos cegos ler livros que não estão em Braille


Câmara acoplada usa algoritmos complexos para determinar as palavras escritas

Criado pelo Grupo de Interfaces Fluídas do Laboratório do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), o FingerReader é um pequeno dispositivo em formato de anel que permite às pessoas cegas ler livros que não estão em Braille.

Com uma câmara acoplada, o FingerReader usa algoritmos complexos para determinar as palavras escritas nas páginas e processá-las por meio de um sistema que converte texto em fala. Assim, à medida que o usuário passa seu dedo indicador – com o anel – sobre as linhas de texto, o dispositivo recita em voz alta cada palavra, para que o leitor possa ouvi-las.

Caso o dedo do usuário comece a se afastar da linha de leitura, o FingerReader avisa o leitor para que ele retorne à posição correta. Da mesma forma, o dispositivo vibra para informar o usuário que a linha de texto chegou ao fim.

Os criadores do FingerReader – Roy Shilkrot, Jochen Huber, Connie K. Liu, Pattie Maes e Suranga Nanayakkara – afirmam que, por enquanto, o dispositivo é apenas um protótipo de pesquisa, mas eles pensam em transformá-lo em produto em um futuro próximo.

Informação retirada daqui