sábado, 26 de abril de 2014

Educação Especial - Causas e Tratamento da Dislexia

Causas
Quer a dislexia quer o autismo, a hiperactividade, as desordens de atenção, os problemas de aprendizagem e muitos outros problemas, são problemas com que nos deparamos no nosso dia a dia e para os quais poucas soluções existem ou melhor poucas soluções se conhecem.

No entanto cada vez mais estão a surgir novas teorias e novas soluções para aliviar, melhorar e resolver tais problemas.

Hoje sabe-se que a dislexia, o autismo, a hiperactividade, as desordens de atenção, os problemas de aprendizagem, etc. se devem a disfunções (maus funcionamentos):
-A nível do sistema nervoso,
-A nível do sistema proprioceptivo,
-A nível de alterações posturais,
-A nível emocional e
-Outros.

O sistema nervoso é um campo muito vasto e como tal existem muitas teorias acerca dele, do seu funcionamento e do seu tratamento.

No entanto as soluções correntes:
-Não dão resultados,
-Dão poucos resultados,
-Levam tempo a dar resultados ou
-Esses resultados são inconsistentes resultando numas situações mas não em outras.
-Isto mostra que as abordagens usualmente usadas não são as melhores.

A observação de pessoas e crianças com dislexia, autismo, hiperactividade, desordens de atenção, problemas de aprendizagem e muitas outras condições tem mostrado a existência de disfunções e alterações:
-A nível do sistema nervoso,
-A nível do sistema proprioceptivo,
-A nível de alterações posturais,
-A nível emocional e
-Outros.

Tem-se visto que a correcção destas disfunções resultam num melhoramento bastante grande das seguintes condições:
-Dislexia,
-Autismo,
-Hiperactividade,
-Desordens de atenção,
-Problemas de aprendizagem,
-Agressividade,
-Maus comportamentos,
-Depressão,
-etc.

Estas disfunções ou maus funcionamentos resultam quase sempre de alterações existentes no corpo, no sistema sacro craniano, no sistema emocional e outros.

Infelizmente muitas das disfunções existentes no corpo ou no sistema sacro craniano não são detectáveis nos exames médicos que actualmente se fazem e apenas podem ser detectadas e corrigidas por pessoas que são treinadas para o efeito.

Uma vez que essas disfunções não são visíveis nos exames e uma vez que são muito poucas as pessoas treinadas na sua detecção e correcção, estas disfunções passam completamente despercebidos da grande maioria dos profissionais de saúde.

Uma vez que estas disfunções não são detectadas, elas não são corrigidas.

O que se detectam são as consequências ou os resultados dos maus funcionamentos do corpo e do sistema sacro craniano, mas não as suas causas ou origens.
-Muitas vezes usa-se a medicação mas a medicação não cura; apenas estabiliza.
-Os apoios apenas apenas ajudam mas não resolvem. O esforço, empenho e trabalho ajudam mas não resolvem o problema.
-O problema é sempre um problema crónico que se irá manter.
-As causas não sendo corrigidas, o problema irá manter-se para o resto da vida até ser resolvido de vez.
-As disfunções não são detectáveis nos exames médicos que actualmente se fazem e dessa maneira não são observadas e dessa forma não são corrigidas.
-Existem muitas causas por detrás da dislexia, da hiperactividade, dos problemas de aprendizagem, etc.

O que há a fazer é identificar e corrigir essas causas.

Hoje existem abordagens e terapias que trabalham e corrigem estes problemas na sua origem.

Tratamento
Uma vez que quer a dislexia, quer a hiperatividade, quer muitos outros problemas de saúde se devem a alterações e disfunções do corpo, do sistema sacro craniano, do sistema proprioceptivo, do sistema emocional, etc.

O síndrome de deficiência postural (SDP) é o resultado de alteraçõs do sistema proprioceptivo. Estas alterações podem resultar em dislexia, défice de atenção, hiperactividade, tonturas, vertigens, desequilíbrios, dores de cabeça, enxaquecas, dores no corpo, mãos frias, etc.

O que há a fazer é corrigir todas essas alterações e disfunções.

Infelizmente estas disfunções não se conseguem detectar como os exames médicos que actualmente se fazem e só pessoas com conhecimentos, treinadas e com boa sensibilidade as conseguem detectar e corrigir.

O facto de não existirem exames médicos que detectem estas alterações e disfunções explica a falta de explicações e de resultados pela medicina.

No entanto felizmente muito trabalho, investigação e exames já foram feitos e hoje começam a surgir máquinas e aparelhos que permitem ver e mostrar o que está mal com o corpo, com o sistema sacro craniano, com o sistema proprioceptivo, etc..

É com base nestes estudos e investigações que surgiram terapias que permitem corrigir todas estes problemas, resolvendo-os de vez ou melhorando-os significativamente.

Esse é um trabalho que leva tempo e que tem de ser levado até um ponto óptimo para que os resultados aconteçam e permaneçam.

Alterar a estrutura do corpo e do sistema sacro craniano não é um trabalho fácil nem rápido.

Hoje temos a capacidade e o conhecimento acerca de como o fazer mas mesmo assim isso é um trabalho que só alguns conseguem fazer uma vez que requer conhecimento, muita sensibilidade, muito treino e muita prática.

O numero de sessões requeridas podem ir de 3 a 12 para se verem alguns resultados, mas para se conseguirem resultados estáveis e concretos costumam ser precisos entre 18 a 40 sessões ou por vezes mais, consoante a situação e resposta da pessoa.

Por norma os tratamentos são feitos com a pessoa vestida pelo que se recomenda roupas leves e práticas, se bem que por vezes possa haver a necessidade de colocar as mãos em contacto com o corpo.

Por forma a obter o máximo de rendimento destes tratamentos, eles devem ser feitos uma a três vezes por semana e com um mínimo de 20 a 30 sessões. Normalmente os resultados começam a ver-se e sentir-se ao fim de 4 a 18 sessões se bem que seja frequente ver-se resultados logo após a primeira sessão. 

Geralmente as crianças reagem melhor e mais rápido do que os adultos pelo que costumam precisar de menos sessões (18 a 30) para resolverem ou melhorarem a maioria dos seus problemas.

Este é um trabalho de desmemorização e correcção dos tecidos e de eliminação de hábitos e padrões que se encontram instalados no corpo, na fáscia e no sistema sacro craniano e que isso leva tempo a fazer.

Após as sessões iniciais, (mais frequentes para ultrapassar ou melhorar substancialmente o problema rapidamente), é recomendável manter tratamentos regulares (um por semana, ou um de 15 em 15 dias ou eventualmente um por mês) para continuar a trabalhar outras situações que se encontram mais profundas e aquelas que entretanto se vão acumulando como o stress e os problemas do dia a dia.

Tudo isto é válido não só para a dislexia, como para a hiperactividade, desordens e défice de atenção, escoliose, autismo, e muitas outras situações como enxaquecas, dores crónicas, fibromialgia, problemas de coluna, perna curta, luxação congénita da anca (deslocamento de anca) , etc..

Estas informações são baseadas na minha experiência com a aplicação da Libertação Miofascial e outras abordagens e não devem ser transpostas para outras terapias, abordagens ou profissionais.

A razão de eu usar a Libertação Miofascial e outras abordagens devem-se aos seus resultados, rapidez e eficácia.

A Libertação Miofascial e outras abordagens permitem melhorar significativamente toda a postura assim como o SDP (síndroma de deficiência postural).

Há que ir às causas e resolvê-las. Para isso há que saber o que está por detrás dos problemas para depois saber o que aplicar e como aplicar para que as causas dos problemas se possam corrigir.

Infelizmente não basta apenas aplicar-se terapias que resultam; há que saber como as usar na pessoa e na situação em causa.

Os resultados dependem do profissional, dos seus conhecimentos e experiência.

Esses resultados dependem também muito das terapias que ele aplica e se elas são ou não as mais indicadas para a situação em causa.


Notícia retirada daqui